Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Miss Messy

Miss Messy

A perda do desejo sexual

 

Preciso de partilhar este assunto aqui no Blog porque é algo que me deixa um pouco de queixo descaído e desiludida.

Uma amiga, confessou-me recentemente, que perdeu o apetite sexual. Fiquei boquiaberta. Como assim perdeu o apetite sexual? Uma miúda ainda solteira, sem filhos, com os seus 33 anos - no auge da sua idade - e já sem vontade de fazer o "nheco nheco" com o seu mais que tudo? Não pode!

Lá puxei por ela para tentar esclarecer a minha questão: o que leva uma pessoa tão jovem a perder o desejo sexual?

Falou-me de uma série de razões que a levaram ao desinteresse pelo sexo. Primeiro ressaltou o facto de já namorar há mais de 6 anos com a mesma pessoa - diz que perdeu a "pica" porque nada é novidade durante a intimidade. Entretanto reforçou que, a certa altura, o casal se acomoda e que as coisas vão esmorecendo. Ainda salientou que ambos têm um trabalho estupidamente desgastante e que acaba por não haver tempo para este "tipo de coisas" e terminou concluindo que, o parceiro, nunca se esforçou por apimentar as coisas enquanto era tempo, que só estava disposto para a intimidade muito de vez em quando e que agora, já é tarde.

"Eu percebo tudo isto...e ao mesmo tempo não percebo!" Foi a minha resposta. Entendo todo o cansaço, entendo que as coisas já não sejam as mesmas, e até entendo que a porcaria da rotina seja uma coisa tramada, mas, meus caros, deixar o navio partir sem fazer um esforço para embarcar no mesmo, é querer ser um naufrago o resto da vida!  Como é que, uma mulher que tinha uma vida sexual tão activa, aos 33 anos já está assim, tão descrente e sem motivação? Eu sei que o sexo não é tudo mas também é importante...ou não?!

Entretanto, conversa puxa conversa e no fim acabo por descobrir que, o problema não é a falta de apetite sexual, mas a falta de apetite sexual com o parceiro. E vai que me desata a chorar no carro por se sentir culpada por, em pensamentos, ter vontade de voltar a estar com pessoas com quem, no passado, teve grandes químicas carnais.

 

Mulheres de Portugal (e homens, caso se queiram incluir nesta história): nada está perdido, animem-se!

Primeiro de tudo, se a relação vale a pena, então há que fazer um esforço por mudar as coisas. Se eles não aquecem sozinhos, aqueçam-nos vocês. Falem sobre o tema, produzam-se, provoquem e ponham na mesa todas as vossas cartas de sedução. Jantares afrodisíacos, noites fora em locais diferentes para sair da rotina, lingerie nova...enfim, o céu é o limite. Não há nada mais triste do que ver dois jovens com tanta adrenalina nas veias serem consumidos pela falta de imaginação, pelo cansaço e pela rotina.

Por muito que se seja feliz, a falta de desejo, pode impedir uma relação de viver na sua plenitude, e se a vida sexual não for satisfatória, com o tempo, acaba por deixar de existir.

Existe a velha máxima de que o homem está sempre disponível e que a mulher é que tem pouco desejo, que inventa desculpas para fugir ao sexo e afins. Pois bem, deixem-me que vos diga que isso são histórias do tempo da avózinha e estão ultrapassadas. Hoje em dia, a falta de desejo, tanto pode vir da parte de um como da parte do outro.

 

Aconselhei a minha amiga a lutar, porque, aparentemente, há sempre solução para tudo, e se no resto a relação vale a pena, o melhor a fazer, é não deixar de regar a seca que já se faz sentir no seu pomar...

 

Vou esperar o feedback...

 

 

 

 

 

 

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Mensagens

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.